Te Deum (1877)

É um poema de dignidade austera e o hino mais famoso do repertório gregoriano, cuja autoria é atribuída a santo Ambrósio e a santo Agostinho. Conclama toda a terra, todos os anjos e todas as nações a louvarem a Deus. É cantado nas festas de alegria especial, como por ocasião de uma ordenação sacerdotal, de uma consagração episcopal, da comemoração de uma vitória ou de um nascimento.

O Te Deum de Tristão Mariano da Costa, escrito entre 12 de julho e 30 de agosto de 1877, apresenta melodias de grande lirismo e muitas coloraturas, bem ao gosto da escola italiana, como é o caso do Te martyrum, no qual a palavra exercitus é traduzida musicalmente com longos melismas, indicando a grande quantidade de mártires a morrer pela fé.

Dentro de uma concepção predominantemente homofônica, apresenta alguns trechos em polifonia, como no Te ergo, de grande efeito no texto quos pretioso sanguine redemisti. Ainda vale ressaltar o uso de uníssonos a capela em trechos mais enfáticos, como o Patrem immensae majestatis.