Adoremus (1887)

Pequena peça intimista de adoração reflexiva para soprano ou mezzo solo, coro feminino a duas vozes e harmônio. O compositor obtém efeitos interessantes pelo uso da subdominante relativa, pelo solo de grande suavidade na tonalidade relativa e no concertato por intermédio do diálogo entre a solista e o coro.