Sicut cervus desiderat

Como a corça deseja
Giovanni Pierluigi da Palestrina (1525-1594)
Salmo 41 (42): 2, 3 e 4
Tradução: Karin Bakke (Janeiro, 2008)

I
Sicut cervus desiderat ad fontes aquarum
Ita desiderat anima mea ad te, Deus.

II
Sitivit anima mea ad Deum fontem vivum;
Quando veniam,
et apparebo ante faciem Dei?
Fuerunt mihi lacrymae meae panes
die ac nocte,
Dum dicitur mihi quotidie:
Ubi est Deus tuus?

I
Como a corça deseja águas correntes
Minha alma suspira por Ti, ó Deus.

II
Minha alma tem sede do Deus vivo;
Quando irei,
E contemplarei a face de Deus?
Minhas lágrimas são meu pão,
Dia e noite,
Enquanto me perguntam todo dia:
Onde está o teu Deus?

Deixe um comentário

Arquivado em Traduções

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s